Duplos, triplos, múltiplos

Tenho dito, aqui e alhures, que tenho uma impressão ruim dos tempos em que vivemos. Não há, a meu ver, quase nenhuma possibilidade de se confiar em quase nada do que é dito, mostrado, repetido, alardeado. A gente não tem mais acesso a índices mínimos de confiabilidade. Tudo pode ser usado a serviço disso ou […]

Outro poema

Cento e dez metros. São cento e dez metros percorridos quarenta vezes. Quarenta vezes divididas em duas séries de vinte, cada uma num sentido. Cento e dez metros. A quem isso importa? Nem Carlos, nem João, Luis ou Fernando. Não. Nenhum deles. Algum deles fosse, talvez, a ideia seria notada e comentada e celebrada. E […]

Um poema

Hoje, minha preguiça se supera. Por isso, vai só um poema: Não mais a porta 501. Não mais aquela porta. Não mais porta os sonhos que por ali entraram, as decepções que dali saíram. Afetos partilhados entre desconfianças e mágoas, assentadas no encanamento entupido, nos azulejos estufados. Na corrosão dos cantos dos rodapés.   Não […]

Elogio da chatice

Culpa, substantivo feminino: responsabilidade por dano, mal, desastre causado a outrem; falta, delito, crime; atitude ou ausência de atitude de que resulta, por ignorância ou descuido, dano, problema ou desastre para outrem; como termo jurídico – no direito civil, falta contra o dever jurídico, cometida por ação ou omissão e proveniente de inadvertência ou descaso; […]