Crônicas sobre o cotidiano

Li, gostei, fiqueiindignado e não descobri o autor. Mas divulgo, mais indignado. “A Justiça Brasileira!!! Eis o porquê da expressão: ‘deixar o cachorro passar e implicar com a pulga’ Isso foi exibido em todos os telejornais noturnos na quinta feira. Paulo, 28 anos, casado com Sônia, grávida de 04 meses, desempregado há dois meses, sem […]

Diário de viagem 7– sexta

  Quem diria… A coordenadora agradou. Texto doce, calmo, claro, abrangente e quase sem os ademanes acadêmicos de praxe. Uma delícia quase ofuscada pelo misto de ogro e sapo. Um sujeito asqueroso, com pronúncia insuportável, lendo texto sem a menor graça, sem sentido. Saí no meio da última comunicação: a da senhora de cabelos brancos […]

Diário de viagem 6 – quinta

  Finalmente o dia da apresentação. Faz quase trinta anos que experimentei pela primeira vez a ansiedade da chegada do dia de apresentar um trabalho num congresso. A primeira vez jamais foi esquecida: éramos cinco à mesa e duas pessoas assistindo. Uma delas era minha “desorientadora” de doutorado; a outra, um amigo, ou melhor, ex-amigo. […]

Diário de viagem 5 – quarta

  Dia de “folga acadêmica”. É a primeira vez que vejo isso, um congresso com um dia inteirinho… livre. O chato que conversava durante a conferência de abertura, falando mal de tudo e de todos ofereceu minicurso hoje. Dia especial então… para quem esteve de folga, como eu. Passeio a Alcântara. A aventura começa atravessando […]

Diário de viagem 4 – terça

Meio dia de atividades “acadêmicas”… Meu estômago anda fraco e com o calor que faz por aqui… Algumas gostas de chuva amenizaram o caldeirão da tarde de céu cinza e carregado, baixo, gordo… logo dissipado pelo vento constante. Vento que fez Jorge desistir do passeio de barco a Alcântrara. A recepcionista de seu hotel o […]

Diário de viagem 3 – segunda

  Primeira sessão de fato “acadêmica”. Quando o campus da universidade ficar pronto, vai ficar até interessante. Prédios de apenas dois ou três andares, formas regulares em posições angulares diferenciadas e jardins. Por enquanto é só poeira, entulho, máquinas, tapumes e mato seco, mas quando ficar pronto… A surpesa ficou por conta do extremo conforto […]