Aparências

  BAKHTIN DESMASCARADO Autor(es): Jean-Paul Bronckart e Cristian Bota Parábola Faz alguns dias li o texto da resenha que segue abaixo. Ela foi publicada na página da editora e recebi o link por mala direta eletrônica da mesma. Fiquei impressionado… Pelo sim, pelo não, ainda vale a pena acreditar que alguém é inocente (ou culpado) […]

Falácia

Os jornais insistem em afirmar que o reajuste para os professores universitários é de 45%. Outra insistência: o salário de R$ 17.000,00. Os mais desavisados (são tantos…) logo caem na esparrela de acreditar que somos preguiçosos ou marajás (como afirmou um famigerado Fernando, cuja esposa botocuda veio a público pedir aumento de pensão, em nome […]

Alterosas

  Recebi do querido Luiz Fernando, por e-mail e colo aqui para que os visitantes possam saborear essas palavras que tão bem desenham a tal de mineiridade, ainda que eu não possa atestar a autoria… MINAS GERAIS – por Bruna Lombardi “Assim como as pedras preciosas escondem seu brilho dentro, MinasGerais esconde infinitos tesouros, que […]

Saudade

No lugar de ficar me lamentando ou destilando sarcasmo por sobre situações do cotidiano, vou na maré da saudade dos amigos que fiz aos longo destes (quase já!) 56 anos. Pego carona numa postagem da querida Márcia Leandro, de quem tenho saudades e a quem pretendo encontrar em próxima visita ao Rio Grande do Sul. […]

Absurdo

  O sujeito vive 81 anos, seis meses e quinze dias. Desse tempo, trabalha, pelo menos, uns 60 anos. Enquanto isso, pelo menos durante uns 50 anos, ele paga o tal de “seguro de vida”. Pronto. Um dia, como com todo mundo, ele morre. Seu dinheiro já começa a ser gasto com as despeses de […]

Palavras

  DO LATIM:O vocábolo “maestro” vem do latim “magister” e este, por sua vez, do adjectivo “magis” que significa “mais” ou “mais que”. Na antiga Roma o “magister” era o que estava acima dos restantes, pelos seus conhecimentos e habilitações! Por exemplo um “Magister equitum” era um Chefe de cavalaria, e um “Magister Militum” era […]

Tempo

  Ontem foi domigo, pé de cachimbo, O cachimbo era de ouro, batia no touro. O touro era valente, batia na gente. A gente era fraco, caía no buraco. O buraco era fundo, acabava o mundo. As palavras não são mesmo, literalmente, estas, mas a memória é… E eu já vou fazer 56 anos…