Aparências

 

BAKHTIN DESMASCARADO

Autor(es): Jean-Paul Bronckart e Cristian Bota

Parábola

Faz alguns dias li o texto da resenha que segue abaixo. Ela foi publicada na página da editora e recebi o link por mala direta eletrônica da mesma. Fiquei impressionado… Pelo sim, pelo não, ainda vale a pena acreditar que alguém é inocente (ou culpado) até que se prove o contrário. A julgar pela morosidade do “sistema” jurídico nacional e pela prodigalidade da “legislação” ( o “Código Penal” é quase centenário…) A assertiva pode causar espécie! O negócio é que o livro anuncia uma “hecatombe”, pelo menos, para aqueles que dizem acreditar de pés juntos e mão beijada naquilo que se supunha ser de autoria do pensador do russo em questão. Pois é… Vai saber o que é certo e o que é errado… Acredito que muita gente já execra o livro, mesmo sem tê-lo lido (o que é de praxe, infelizmente, por aqui). Por outro lado, tem muita gente “gozando” pelos mesmos motivos e com direito às mesmas observações, também, infelizmente… De uma de ou de outra forma, fiquei curioso. Não sei ainda se vale a pena comprar o livro, mas fiquei curioso. De qualquer maneira penso, (feliz e satisfeito)  que nem sempre sou exagerado ou equivocado ou chato quando penso que a relatividade é a mais absoluta das possibilidades… para tudo. Em que pese a contradição “em termos”, não vale a pena acreditar cegamente em tudo o que se lê! Tenho dito!

“Esse livro enfrenta, tentando decidir, a questão dos textos disputados, uma disputa surgida a partir do momento em que Mikhail Bakhtin, apoiado por seus promotores moscovitas, declarou, no decorrer dos anos 1960, ser ele o autor efetivo da obra maior de Medvedev, bem como da quase totalidade dos escritos de Volóshinov. A tese da onipaternidade bakhtiniana constitui uma fábula à qual uma criança de 10 anos não teria concedido crédito e se inscreve no quadro de uma fraude intelectual e talvez, sobretudo, financeira, na medida em que, em suas versões russas e na imensa maioria de suas traduções, as obras de Volóshinov e de Medvedev continuam a ser publicadas sob o nome de Bakhtin, … em benefício dos legatários universais de Bakhtin. Depois de um curto período de ceticismo e de hesitação, essa fábula foi aceita e avalizada por um número crescente de especialistas em literatura. E essa adesão provocou, durante várias décadas, um delírio interpretativo. No decorrer da última década, contudo, foram publicados vários trabalhos que levaram à completa reabilitação de Volóshinov e de Medvedev: é nas obras de Volóshinov e de Medvedev que foi desenvolvido o conjunto de temas que suscitou o interesse dos especialistas em literatura: a genericidade “ampliada”, o dialogismo, a atitude responsivo-ativa, a polifonia etc. No alvorecer do século XX, Volóshinov e Medvedev conceberam, a exemplo do Vigótski de A psicologia da arte, o projeto de desenvolver uma ciência da literatura que faria parte integrante de uma ciência do humano. A publicação de Bakhtin desmascarado é a afirmação de que é tempo voltar aos textos disputados, de questionar a onipaternidade de Bakhtin sobre eles, de dar crédito a quem é dono do crédito, para vencer definitivamente uma impostura intelectual de fundas consequências para a ciência literária e os estudos linguísticos. Bronckart e Bota reconstituem aqui a história do bakhtinismo, mesclando biografia e história das ideias, à maneira de um romance policial, cujo desfecho os leitores se apressarão a conhecer. Eles apontam falhas nos raciocínios científicos, destacam os ilogismos biográficos, metem o dedo nas contradições no discurso de Bakhtin, retomam afirmações incoerentes, criando um suspense que, ao final, acaba por ser elucidado: Bakhtin mentiu. E sua mentira diz respeito à autoria dos textos disputados, às condições de sua redação, ao conteúdo de seu próprio trajeto científico. Bakhtin desmascarado é uma obra inquietante em seu tom severo. Não se poderá negar aos autores o mérito de trazer a polêmica dos textos disputados a um público mais amplo e a coragem de defender posições tão radicais sobre um tema frequentemente silenciado e ainda muito pouco visitado.”

Anúncios
Postado em Sem categoria.

5 comentários sobre “Aparências

  1. Pelo que se pode perceber, ‘pirataria’ e apropriação indébita não são privilégio nosso. E já faz tempo. O físico brasileiro César Lattes foi realmente o grande formulador da “teoria da relatividade” atribuída a Albert Einstein. No entanto, nem ao menos recebeu o Prêmio Nobel e poucos brasileiros o conhecem, ainda que seja de nome. É impressionante a cara-dura de certos pseudo-intelectuais que fazem do trabalho alheio mérito seu. Precisam da fama, já que lhes falta talento. No entanto, quem é bom mesmo fica oculto pela própria humildade diante do conhecimento e da produção intelectual e pela obsessão pelo trabalho a que se dedicam. Morrem no ostracismo. Só muitos anos depois é que são objeto de reparação através de quem faz questão de “dar a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus” A essa altura, já não faz grande diferença. É preciso cuidado. Registrar a propriedade intelectual antes de levá-la a público. Pena que ninguém se lembra… Beijinhos, Angel

  2. Na verdade, o buraco é um pouco mais embaixo… nem tanto pela pirataria, mas muito mais pela “a’propriação” de ideias… Fico pensando na miríade de “intelectuais”, de “acadêmicos”, os da república dos phdeuses que “se fizeram” como “doutores” das ideias do russo. O queixo caiu, a máscara também… E fica sempre o princípio de que tudo, absolutamente tudo, é relativo. Em que pese a aparente contradição dos termos… Vai vendo…

  3. Se pode haver dúvida quanto a autoria de Bakhtin, pode, do mesmo modo, não ser verdade a tese que tenta desmontar sua autoria. O assunto é polêmico, eu me reservo o direito de não embarcar na segunda possibilidade. E, se, de fato, Bakhtin mentiu, autores muito criteriosos e corretos de outros países embarcaram na mentira. Não nos apressemos, portanto.

    1. Pois é Larte. A postagem tem mesmo esse caráter de levantar a lebre. Como diz o adagiário popular: nem tanto ao mar, nem tanto à terra…
      Obrigado pela visita e volte sempre!
      ABraço e boa semana!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s