Flashes

Dizem por aí que a propaganda é a alma do negócio. Bom… penso que há de se ter claro que “negócio” é esse e que “alma” ele tem… A SKY (que infelizmente “engoliu” a Direct TV) tem feito, sempre, maciça propaganda na televisão. Não entro no mérito da política de divulgação da “companhia”, mas me pergunto sobre a insistência em associar os recursos de seus “serviços” a determinados temas. Tenho visto, com muito incômodo, uma dessas “peças” que mostram o tal de octógono. Nestas, num rápido segundo, vê-se a proteção bucal de um dos animais que se debatem voar pela tela. Antes um pouco, dois outros animais estão no tablado e um deles desfere golpes sucessivos na cabeça do outro. A título de divulgar um dos propalados “recursos tecnológicos” a imagem que se repete é a da sequência de golpes… Por quê?

A “Odebrecht” tem veiculado propaganda de mais um lançamento imobiliário no “mercado”. Matéria cuidadosa que enche os olhos dos mais desavisados… O que me chama a atenção é que lá pelas tantas, aparece uma palavra esquisita – “multiúso”. Até vê-la estampada na tela da televisão, jamais soube que ela continua um hiato e que era necessário acentuar a sua segunda vogal…. Alguém pode me explicar?

No jornal Estado de Minas, leio, estarrecido, a declaração do de excelentíssimo senhor ministro da justiça da república federativa do Brasil. Ele diz, depois de qualificar os presídios brasileiros de “medievais”, que preferia morrer a ter de cumprir pena num desses presídios… “medievais”. Estarrecido por quê, Pedro Bó? Ora… O absurdo da medievalidade dos presídios no rincão nacional é inquestionável e causa horror a qualquer ser humano com um pouco de percepção e sensibilidade. Agora, um ministro admitir isso e dizer que prefere morrer a passar algum tempo nesse locus horrendus é mesmo de estarrecer. Subliminarmente – talvez ele não tenha se dado conta, afinal ler é coisa de quem não tem “o que fazer” na terra brasilis –, ele está a dizer que admite a própria inoperância como signatário do Ministério que tem gerência sobre a construção e administração dos presídios por aqui, entre outras coisas… Quem tem olhos de ver que veja!

Anda aparecendo na “rede” uma imagem que diz mais que mil palavras. De um lado a charge de um afamado “jogador de futebol” sorridente, com as mãos na barriga a se vangloriar de receber milhões de reais para… emagrecer! De outro, uma criança mirrada, com expressão triste, a dizer que precisa apenas de 25 centavos para comprar um pãozinho. A ser verdade o pagamento da quase fortuna, eu diria com Camões, na boca de seu Velho do Restelo:

“Ó glória de mandar! Ó vã cobiça
Desta vaidade a que chamamos fama!”

Anúncios

2 comentários sobre “Flashes

  1. Este país é mesmo um contrassenso. Eu diria, mesmo, surrealista. Estou preocupada: não tenho me espantado com quase nada ultimamente – anticorpos para a loucura? Que bom que você ainda consegue se estarrecer e criticar. Eu? Desliguei, perdi o interesse e calei a boquita de cereza. Vou me tornando uma ermitã: antes só do que mal acompanhada, diz o ditado. Os olhos e a mente continuam bem abertos, porém para interesses outros, que de BraZil estou de saco cheiíssimo! Ainda bem que minha família e meus poucos amigos fazem valer a pena continuar existindo. Beijinhos, Angel

  2. Ô meu bem, espiritualmente estou com você, reclusa. Mas ainda tenho que enfrentar a turba, semanalmente e no comércio, por aí, por conta da “administração do lar”… Ossos do ofício. Você está certíssima, mais uma vez!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s