Diário coimbrão 27

Subtítulo: paralelos

Por aqui é paragem; no Brasil, parada. Faz sentido. Parada é o ato, a ação de parar. Paragem é o lugar.

Aqui é autoclismo. No Brasil, descarga. Sem comentários.

No Brasil, eu saco dinheiro do caixa eletrônico. Aqui, eu levanto dinheiro do multibanco.

Rapariga, aqui. Mulher, moça, menina, no Brasil.  O folclore está cheio de piadas com esta palavra…

No Brasil, o estudante roda, toma bomba, é reprovado. Aqui, ele chumba.

Aqui é gabinete de prova. Lá, provador (de roupas..).

Autocarro para ônibus, comboio para trem, metro para metrô, bica para café, rato para mouse rebuçado para bala (de comer, não de matar…), broa de milho para pão de milho, camisola para camiseta, relvado para gramado (no futebol), redonda para bola (idem), guarda redes para goleiro (idem), golo para gol (idem), estrada para rua, hospedeira para comissária de bordo, urgências para pronto socorro e por aí vai…

Clique aqui, diz o brasileiro (que imita quase tudo dos norte-americanos…). Carrega aqui, diz o português.

Muitas diferenças, muita graça, mas muita coisa igual sem muita graça: gente com menos de vinte anos de idade sentada nas cadeiras preferenciais olhando com desdém para os velhotes (como esses velhotes andam de ônibus por aqui! Deve ser por conta da debandada da juventude. Eles ficam sozinhos, daí têm que usar o transporte público que é muito razoável!); muita gente andando sem olhar por onde anda por conta do maldito celular (ah… aqui é telemóvel). Rapazes usando aquelas calças cinco números maior, com cós bem baixo, os bolsos traseiros batendo na parte de trás do joelho, os cabelos despenteados, a barba por fazer, falando alto, fumando, em bandos e olhando para o resto da humanidade como se nada pudesse ser melhor que aquilo… Moças usando sapatos com saltos altíssimos ou botinas mais parecidas com coturnos, sem ter noção do que é ANDAR. Mais parecem potrancas no cio… batendo as patas no chão…

De quebra, algumas imagens do início do reinado de Momo em Coimbra. Só com crianças… e poucas… Imagina… Vou dar aulas na terça-feira gorda. Já imaginaram uma coisa dessas no Brasil?

Carnaval 1Carnaval 2Carnaval 3

 

Anúncios

2 comentários em “Diário coimbrão 27

  1. Diferenças que não nos afastam, mas aproximam – pura semântica! Enquanto isso, a globalização da mediocridade aponta em todos os cenários! O inútil e o fútil everywhere… Patético. Gostei do glossário. Beijinho, Angel Face

  2. Pois cada vez que eu penso ou escuto ou leio uma palavra que pode fazer parte do rol que apresentei aqui eu penso nessas diferenças, mas é que nunca estou de posse do meu “caderninho” e a memória anda mais preguiçosa que eu… Bom final de semana! Pelo comentário, dá pra sentir que as nuvens pesadas da tempestade andam a se esmaecer… Que bom! Fica com Deus! beijinho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s