Last chance

Não. Não se trata de alguma novidade que está viável pela última vez. A ideia é causar o efeito contrário. Como última atividade antes da aposentadoria – esperada e irrecorrível – recebi um texto para ser revisado. O autor, conhecido meu, pedia que eu avaliasse a “redação”. Segue o texto do gajo, com as minhas intermitentes observações. Foi a última coia que fiz, não contando a regularidade das aulas. Agora é gozar… Segue o texto:

“ACONTECIDO EM PARIS: UMA JOVEM CANTORA PARISIENSE, MUITO PROMISSORA, COM UMA VOZ DE DAR[1] INVEJA EM MUITAS PESSOAS QUE A OUVIAM[2] CANTAR.
COMEÇOU SUA CARREIRA DEPOIS QUE FUGIU DE CASA, POIS SEUS PAIS A MALTRATAVAM E TINHA PREFERÊNCIA POR UMA FILHA SÓ[3]. COM O OCORRIDO[4], IRENE FOI EM BUSCA DO SEU SONHO QUE ERA CANTAR, ALGO QUE TE[5] FAZIA MUITO FELIZ.[6] COM O TEMPO,[7] IRENE FOI AOS POUCOS SE[8] APRESENTANDO EM SALÕES, CASAS DA ALTA REALEZA QUE IRIA SÓ[9] BARÕES,  PESSOAS DA ALTA SOCIEDADE PARISIENSE[10]!!! COM TUDO ISSO ACONTECENDO EM SUA VIDA,[11] IRENE COMPROU UMA MANSÃO PARA[12] ELA, CONTRATOU QUATRO[13] EMPREGADOS[14] PARA O TRABALHO DE SERVIÇOS GERAIS. NESSA ÉPOCA,[15] IRENE TINHA TIDO UM FILHO, MAS[16] PARA NINGUÉM[17] DA SOCIEDADE SABER, FOI ATÉ UMA ALDEIA E DEIXOU SEU FILHO COM UM PADRE PARA CUIDAR LO[18], E,  COM ISSO,[19] IRENE CONTINUOU SE[20]APRESENTANDO, SENDO PRESENTEADA COM JOIAS DOS GALANTIADORES PARISIENSES[21] QUE O ADMIRAVAM. NUM CERTO DIA,[22] IRENE RECEBEU UMA NOTÍCIA[23] DA ALDEIA:[24] PADRE HUGO[25] TINHA FALECIDO. NESSA HORA,[26] IRENE NÃO SABIA O QUE IRIA FAZER, PENSOU, REFLETIU E TOMOU UMA DECISÃO:[27] RAPIDAMENTE,[28] FOI EM BUSCA DE ANDRE SEU FILHO. TROUXE PRA[29] MORAR COM ELA DEFINITIVAMENTE. COM O PASSAR DO TEMPO,[30] IRENE PREUCUPADA EM APENAS SE APRESENTAR, ESTAR CADA DIA MELHOR AINDA, E SEU FILHO ESQUECENDO DE LADO, QUEM OS DAVA ATENÇÃO E CARINHO ERA ANTONIETA EMPREGADA JA DE IRENE A MUITOS ANOS.[31]  CERTO DIA,[32] IRENE RECEBEU UM CONVITE MUITO IMPORTANTE PRA[33] ELA SE APRESENTAR NUMA CASA DE BARÕES MUITO IMPORTANTES[34]. ALI IRIAM SE REUNIR PESSOAS MUITO INFLUENTES[35] DA ALTA SOCIEDADE PARISIENSE.  IRENE,[36] MUITO CONTENTE E FELIZ COM O CONVITE, ANSIOSA PARA O DIA DA APRESENTAÇÃO[37]!! O TÃO ESPERADO DIA CHEGOU, DIA DA APRESENTAÇÃO DE IRENE. MUITO ATRASADA, NÃO SABIA COM[38] QUAL VESTIDO IRIA NO EVENTO, E SUA EMPREGADA ANTONIETA ESTAVA O[39] AJUDANDO E IRENE DIZIA “ANTONIETA, SERÁ QUE ESSE VESTIDO COMBINA COM O EVENTO?”.[40] ANTONIETA, SIMPLES E HUMILDE,[41] NÃO SABIA O QUE DIZER, E ENTÃO IRENE RESOLVEU IR COM ESSE[42] VESTIDO MESMO. JÁ[43] ATRASADA, DISSE PARA ANDRE “SE ARRUME LOGO PORQUE ESTAMOS ATRASADOS”[44]. EM SEGUIDA,[45] APANHARAM A CHARRETE QUE OS LEVARIA[46] AO[47] EVENTO. E IRENE DIZENDO A SEU EMPREGADO “VAMOS O MAS RÁPIDO POSSÍVEL PARA CHEGARMOS LOGO”,[48] E NO DECORRER DO CAMINHO,[49] ACONTECEU UM ACIDENTE: DO NADA, APARECE UMA CRIANÇA E A CHARRETE A ALCANÇA DE CHEIO, LOGO EM SEGUIDA, IRENE, ANDRE E O EMPREGADO SAÍRAM DA CHARRETE PARA ACUDIR A CRIANCA, MAS ESTAVA MUITO MACHUCADA.[50] NAQUELE MOMENTO,[51] A CRIANÇA AINDA ESTAVA COM VIDA. MAS IRENE, APRESSADA,[52] PREOCUPADA[53] MAIS COM O EVENTO DO QUE EM AJUDAR A CRIANÇA, ORDENOU QUE O EMPREGADO E ANDRE DEIXASSE A CRIANÇA ALI E ENTRASSE IMEDIATAMENTE NA CHARRETE.[54] SEGUIRAM A CAMINHO DE SEU DESTINO FINAL[55] E A CRIANÇA FICOU ESTIRADA NO CHÃO. LOGO EM SEGUIDA,[56] CHEGARAM AO[57] EVENTO.[58] TODOS AGUARDAVAM IRENE, MAS, NAQUELE MOMENTO,[59] SÓ VINHA AO[60] PENSAMENTO DE IRENE A CRIANÇA ESTIRADA NO CHÃO. IRENE ESTAVA TRISTE A FELIZ AO MESMO TEMPO,[61] POIS IRIA APRESENTAR-SE[62] NUM LUGAR MUITO IMPORTANTE ONDE ESTARIAM PESSOAS IMPORTANTES DE PARIS. ANDRE FICOU NUM CANTO ISOLADO OLHANDO SUA MÃE SE APRESENTAR. MAIS TARDE,[63] IRENE TERMINARIA DE SE[64] APRESENTAR, SE DESPEDIRIA DOS CONVIDADOS E, EM SEGUIDA,[65] VAI AO ENCONTRO DE ANDRE E DE SEU EMPREGADO. IRENE DIZ[66] AO EMPREGADO PARA IR POR OUTRO TRAJETO. NO CAMINHO,[67] IRENE NÃO PARAVA DE PENSAR NAQUELA CENA.[68] EM SEGUIDA,[69] CHEGA EM SUA RESIDÊNCIA E JÁ[70] VAI SE DEITAR.[71] COM O DECORRER DA NOITE,[72] IRENE NÃO CONSEGUIA DORMIR, PELO OCORRIDO. DE MANHÃ,[73] IRENE ACORDA E VAI TOMAR[74] CAFÉ E PARECE QUE NADA ACONTECEU. EM ALGUNS INSTANTES,[75] IRENE LEMBRA DO OCORRIDO, IMEDIATAMENTE ELA SE LEVANTA E VAI ATÉ[76] O EMPREGADO. EM SEGUIDA,[77] DIZ[78] QUE LAVOU, MAS IRENE COM AQUILO NO PENSAMENTO, PEDIU PARA SEU EMPREGADO LAVAR DE NOVO.[79] E COM O PASSAR DO TEMPO IRENE VINHA CONVIVENDO COM ISSO.  IRIA EM SUAS APRESENTAÇÕES,[80] MAS COM AQUELE PENSAMENTO DO ACIDENTE …

CONCLUSÃO: IRENE TEVE OPORTUNIDADE DE REVERTER ESSA SITUAÇÃO DE ALGUMA FORMA AJUDANDO A FAMÍLIA DA CRIANÇA, MAS QUIS PRIORIZAR FAZER SUAS APRESENTAÇÕES.[81]

[1] Verbos no infinitivo grafam-se obrigatoriamente com “R”!

[2] Aqui o verbo tem que concordar com “as pessoas”!

[3] Trata-se de uma redação, possivelmente, de caráter dissertativo. Neste sentido, há que se informar que a tal cantora tinha um(a) irmã(o). Do contrário, esta afirmativa (a que faz referência à preferência dos pais) fica deslocada, desarticula. Compromete a coerência e a coesão do texto.

[4] O que foi que “ocorreu”? A fuga da cantora? O adjetivo, então, é utilizado aqui inapropriadamente. Troque “com o ocorrido”, por “depois da fuga”. Isso dá mais consistência ao seu texto.

[5] Errado. O pronome correto aqui seria o oblíquo “A” (terceira pessoa do singular) pois se refere à cantora!

[6] Substitua a vírgula pelo ponto aqui. A pausa fica maior e dá mais coesão ao texto.

[7] A vírgula é necessária aqui porque o adjunto adverbial está deslocado.

[8] É necessário o pronome reflexivo aqui pois se trata de afirmação sobre a própria Irene. Ela apresentava a ela mesma e não outra coisa!

[9] Substitua “que iria só” (que está errado) por “frequentada por” (que está correto)!

[10] Parisiense é com “s” e não com “c”!!!

[11] De novo a obrigatoriedade de uma vírgula aqui por conta do deslocamento da oração subordinada!

[12] “Pra” forma pronominal muito coloquial. Em redações para concursos, segue-se à risca, a normal culta, de preferência, logo, “para ela”!

[13] Substitua o numeral pelo vocábulo que o identifica. Questão de estilo!

[14] A vírgula que aqui estava era desnecessária, pois a oração subordinada está em seu lugar no sintagma.

[15] Aqui a vírgula é indispensável: outro adjunto adverbial deslocado!

[16] “Mas” com acento, é plural de “má”, contrário de boa. A conjunção subordinada adversativa grafa-se sem acento: “mas”.

[17] “Ninguém” é vocábulo oxítono, logo, leva acento na última sílaba!

[18] Essa forma verbal “cuidar lo” não existe!!! Aqui você deve usar a locução “para ser cuidado”, que expressamente o que você quer dizer!

[19] “Com isso” vem entre vírgulas por conta do uso da conjunção subordinada aditiva com o adjunto adverbial deslocado.

[20] De novo, a obrigatoriedade do uso do pronome reflexivo “se”, pois se trata de apresentação de irene, como visto acima!

[21] De novo, trocar o “c” por “s” e acrescentar o “s” final pois é obrigatório o plural do substantivo já que se trata de mais de um “galanteador”!!!

[22] Vírgula obrigatória: adjunto adverbial deslocado!

[23] O vocábulo “notícias” tem que ser acentuado!

[24] Substitua a expressão “que o” por dois pontos, para melhor coerência e coesão!

[25] Não se separa sujeito com vírgula!

[26] Vírgula aqui: adjunto adverbial deslocado!

[27] Substitua a vírgula e a conjunção “e” por dois pontos: mais clareza!

[28] Vírgula aqui: adjunto adverbial deslocado.

[29] Veja o que eu disse anteriormente sobre esta palavra…

[30] Como na nota 28.

[31] Este período está confuso e mal redigido. Veja se concorda com a minha sugestão: IRENE, PREUCUPADA EM APENAS SE APRESENTAR, ESTAR CADA DIA MELHOR AINDA, FOI DEIXANDO SEU FILHO LADO. QUEM DAVA ATENÇÃO E CARINHO PARA ELE ERA ANTONIETA, A EMPREGADA DE IRENE HÁ MUITOS ANOS.

[32] Como na nota 30.

[33] Veja o que eu disse anteriormente sobre esta palavra…

[34] Importantes, no plural, para concordar com “barões”!

[35] As pessoas eram fluentes na sua expressão ou causavam influência… Creio que se trata do segundo caso. Assim, a forma correta é “influente”!

[36] Há necessidade de usar vírgula aqui, por conta do aposto que segue o sujeito da oração.

[37] O que aconteceu com Irene? Do jeito que está, é necessário dizer isso. Caso contrário, a oração fica sem sentido!

[38] É necessário usar “com” para dar sentido à oração.

[39] Este pronome deve ser eliminado!

[40] Fiz as correções eu mesmo!

[41] Aposto sempre fica entre vírgulas!

[42] Substitua esse demonstrativo por “aquele”, pelo fato de que o tal vestido não está definido (apresentado) explicitamente em seu texto. “Aquele” leva o leitor a compreender que se trata, de fato, do vestido que Irene estava experimentando, qualquer que seja ele. O termo “mesmo” induz o leitor a esta constatação!!!

[43] Palavra oxítona obrigatoriamente acentuada.

[44] Vale aqui o mesmo que eu fiz na nota 40.

[45] Vírgula necessária, pausa de raciocínio e adjunto adverbial de tempo deslocado.

[46] O verbo “levar” deve ser conjugado, aqui, no singular porque seu sujeito é “charrete”!

[47] A charrete leva “ao evento e não “no” evento, haja vista que a charrete é o transporte para o evento.

[48] Fiz aqui as correções como na nota 40. “Rápido” é acentuado porque é proparoxítona, “possível”, porque paroxítona terminada em “- vel”.

[49] Há necessidade de vírgula aqui: adjunto adverbial de lugar deslocado.

[50] Fiz as correções, eu mesmo.

[51] Vírgula necessária: adjunto adverbial de tempo deslocado.

[52] “Apressada” (sim, com dois esses!) deve estar entre vírgulas porque é um aposto.

[53] Sim, “preocupada” é com “o” e não com “u”!!!

[54] Fiz todas as correções eu mesmo.

[55] Não há necessidade de “final” aqui. A palavra “destino” já carrega o sentido de final. Do jeito que está, fica redundante, o que é um erro sério de redação!

[56] Vírgula necessária: adjunto adverbial deslocado.

[57] Ela não chegou montada “no” evento. Ela chegou “ao” local do evento…

[58] Ponto é melhor que vírgula aqui, para marcar a pausa mais longa.

[59] Vírgulas necessárias: adjunto adverbial de tempo deslocado.

[60] Aqui vale o mesmo raciocínio da nota 57.

[61] Fiz eu mesmo as correções.

[62] Veja o que eu digo na nota 20.

[63] Vírgula necessária: adjunto adverbial de tempo deslocado.

[64] Idem, nota 62.

[65] Fiz eu mesmo as correções.

[66] A terceira pessoa do singular do verbo DIZER é DIZ e não DIS!!!

[67] Idem, nota 63.

[68] O correto é CENA. SENA é nome de jogo de azar, loteria da CEF…

[69] Idem, nota 67.

[70] Oxítona acentuada!!!

[71] Ponto no lugar da vírgula: pausa maior.

[72] Idem, nota 69.

[73] Idem, nota 72.

[74] Verbos no infinitivo são grafados OBRIGATORIAMENTE com “R” ao final!!!

[75] São “alguns”, logo, “instanteS”!!! Além disso, o adjunto adverbial está deslocado, por isso, a vírgula.

[76] Palavra oxítona, obrigatoriamente acentuada!

[77] Idem, nota 69.

[78] Idem, nota 66.

[79] Este período não faz sentido. “Lavou” o quê? Há que construir coerência em seu discurso.

[80] Sempre vírgula antes de “mas”!!!

[81] A conclusão de um texto de redação deve estar incorporada ao corpo do próprio texto. Não se faz necessário destaca-la!

Anúncios

4 comentários sobre “Last chance

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s