De finais e de começos IIA

Dando andamento ao meu exercício, passo a considerar o último capítulo de um romance caudaloso: Os Maias, do Eça de Queiroz. Lembro-me, ainda no tempo do mestrado, de uma discussão acerca da grafia do nome do escritor português: Queiroz, Queirós, Queiros ou Queiróz? Muita saliva, muita gritaria, argumentos os mais inusitados e NENHUMA conclusão. Afinal […]

De finais e de começos IB

Como previsto, o segundo passo do meu exercício de leitura traz o segundo capítulo (ah… as coincidências!) de Dom Casmurro. O propósito é colocá-lo ao lado do primeiro capítulo de São Bernardo. O intuito não é apenas encontrar semelhanças e diferenças. Isso seria primário demais. Num primeiro momento, destaco a distância cronológica entre os dois. […]

De finais e de começos IA

Como anunciado, tem início o meu exercício de leitura. Começo com o trecho inicial do primeiro capítulo de São Bernardo. Como não se trata de trabalho “acadêmico” – no que este tem de mais protocolar e artificial – abstenho-me das referências, já por demais conhecidas. O trecho é um tanto longo e o único comentário […]

A proposta

Logo de início, pensei que seria possível mudar. Fiz o projeto. Tentei cercá-lo de toda a argumentação necessária à consolidação da proposta. O projeto foi aprovado. Começa a investigação. No meio do caminho, na iminência e uma reprovação, vem o veredito positivo: qualificado. Há que esclarecer que durante o prélio, desenhou-se outro caminho – de […]

Duas vezes inocência

Inocência. No dicionário encontramos o seguinte: “substantivo feminino – estado, caráter daquilo que é inocente; qualidade de quem é incapaz de praticar o mal; estado daquele que não é culpado de uma determinada falta ou crime; ingenuidade excessiva; ignorância; ignorância das coisas de amor; virgindade, donzelice”. Pois há uma gama espessa de sentidos a recobrir […]

Outra mulher: Ana Teresa

Em 1998, defendi minha dissertação de Mestrado na Unb. Era Setembro. Minha mãe e duas tias foram comigo, assistiram, me aplaudiram. Fiquei orgulhoso. O trabalho versava sobre a proposta de um conceito teórico da/para a Literatura: romance intimista. A partir da leitura de cinco romances de Clarice Lispector e cinco de Lya Luft, tentei esboçar […]

Recordar é viver

Entre 2008 e 2010 vivi em Zagreb, capital da Croácia. Foram dois anos como Leitor de Português na Universidade de Zagreb. Para além das atividades acadêmicas, como fui o primeiro Leitor Brasileiro (havia um leitorado português, mantido pelo Instituto Camões), mantive estreita relação, não apenas profissional com o corpo consular sediado na Embaixada do Brasil […]