Impressões

Há algo de inverossímil nas nuvens. As nuvens, por elas mesmas, não se movem. São movidas pelo vento. Suas formas mudam, melhor dizendo, elas formam imagens mutantes, constantemente mutantes, sem uma explicação mais plausível que a da força do vento. Punto i basta. Na inexplicabilidade da metamorfose das nuvens, poeticamente falando, encontra-se certa logica interna, […]

Para o estudo da Literatura Brasileira – Final

O trabalho que desenvolvo aqui é, em certa medida, a tentativa de dar continuidade a um propósito estabelecido na dissertação de mestrado, que vai se estender por um tempo imprevisível. O caráter comparatista ganha consistência principalmente por dois elementos: a comparação realizada entre os romances e o conjunto de considerações crítico-historiográficas e a tentativa de […]

Para o estudo da Literatura Brasileira II

Tomados estes parâmetros iniciais para minha investigação, fui levado a determinar, metodologicamente uma orientação eficiente, para dar conta de esboçar o caminho anunciado. Com o desenvolvimento das primeiras pesquisas, a questão da constituição de um sujeito-narrador revelou-se por demais teórica, exigindo tal nível de aprofundamento que faria com que eu enveredasse por um caminho distante […]

Para o estudo da Literatura Brasileira I

PRA COMEÇO DE CONVERSA[1] Começar um livro é uma tarefa um tanto complexa, para não dizer difícil. Aqui não é diferente. Apesar do desejo incontido de dar a esse texto um ar leve e quase descompromissado – considerando, para isso, os parâmetros de certa instância legitimadora – não consigo me livrar desse temor, o que […]

Ecos de lucidez

O texto é tão sensato que não resisti e fiz dele minha postagem de hoje, no frigir dos ovos de sua leitura… A fonte é: http://gabeira.com.br/ninguem-responde-ao-general/ “NINGUÉM RESPONDE AO GENERAL 17.09.2018 EM BLOG De novo na estrada, no centro de Minas, a 700 quilômetros do Rio. Deixei um clima político bastante polarizado. A série de entrevistas […]

Releituras

“O inesperado convite, dirigido ao mestre por Giuliano Lorenzo de’Medici, para que executasse em Roma um programa de obras extraordinárias, libertaria Salai, e ao menos tempo­rariamente, da dolorosa emulação que sustentava com Melzi. Irmão de Leão X, o papa reinante, Giuliano requeria do Homem um conjunto de maravilhosas benfeitorias, a empreender nos jardins do Belvedere. […]