Poesia

Poemas relâmpago I Silêncio e abandono, precisos. Momentâneo exílio, audição do abismo, antes da pulverização da rua, longa. A travessia do telescópio à cata de estrelas. A palavra ausente no fio dos dias.   II Nem multidão, nem vazio: no meio. A pertinaz constância, presente eterno, a voracidade absoluta do agora.   III Verso, Porto […]

Surpresa promissora

Um romance dramático. Sim. Estaria eu, com isso, criando um novo subgênero narrativo? Um primo jovem do conto, do romance e da novela? Nem de longe. Não está em mim tal desfaçatez. Claro está que toda a quantidade enorme de tinta que foi gasta para preencher o fruto do desmatamento de áreas imensas para fabricação […]

Palavra delicada

Um dos poemas de Cecília Meireles que muito me impressiona é o que segue: Nós e as sombras E em redor da mesa, nós, viventes, comíamos e falávamos, naquela noite estrangeira, e em nossas sombras pelas paredes moviam-se, aconchegadas como nós, e gesticulavam, sem voz. Éramos duplos, éramos tríplices, éramos trêmulos, à luz dos bicos […]