Um poema

Não gosto de poesia de ocasião. Aliás, não gosto de Literatura de ocasião. Mas é isso, não gosto. Quem quiser que o faça. Entretanto, fiz esse poema… de ocasião.

Alerta

Enquanto isso…

flores morrem, solitárias

num jardim abandonado:

o jardineiro não pode sair de casa

e contaminar o ar.

Enquanto isso…

a capelinha é invadia:

o ritual não ascende a alma, dizem

rebaixa o espírito.

Enquanto isso…

dar adeus poder engano:

quem vê pensa que é outra coisa

e adeus!

Enquanto isso…

O verso desaparece da linha

a página continua em branco

a procurar o par de olhos que ao vai acompanhar

até onde?

Enquanto isso… 

Uma resposta para “Um poema”.

  1. Boa noite meu querido… enquanto isto este par de olhos fica esperando outro poema de ocasião surgir nas linhas da página que dá um branco. Encanto isso, viu?! Gostei! Que seu dia seja iluminado meu caro… um forte abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: