Mais dois poemas

Um é mineiro, o outro, pernambucano. Bem… eram, foram. Mas continuam sendo na poesia que deixaram. Pra tentar não perder o ritmo, mai dois poemas… Nos dois a singeleza aparentemente banal dos versos leva o leitor a universos imaginários de ordem vária, todos “amarrados” pela correnteza da existência que “arma” situações igualmente insitadas. Há filosofia, […]