Poesia

Poemas relâmpago I Silêncio e abandono, precisos. Momentâneo exílio, audição do abismo, antes da pulverização da rua, longa. A travessia do telescópio à cata de estrelas. A palavra ausente no fio dos dias.   II Nem multidão, nem vazio: no meio. A pertinaz constância, presente eterno, a voracidade absoluta do agora.   III Verso, Porto […]

Delírio fílmico

Há um filme, que já vi algumas tantas vezes, que me impressiona muito: A casa dos espíritos, Bille August, 1993. Jamais li o livro, de autoria de Isabel Allende, que serviu de base para a versão cinematográfica. Pode ser que esteja perdendo muita coisa… O que me interessa é uma cena em particular. Durante um […]