Vida inteligente

O charco de tédio e sensaboria continua… a existir e resistir, incólume à minha volta. Lama, lama mesmo, já não há. Só o pó que a tudo cobre e a tudo embaça como a secura ventosa deste agosto que não passa… Neste paradeiro, deparo-me com uma página aberta a esmo no mundo virtual, que me […]

Perdas e ganhos

No dia 29 de Junho, quase um ano depois de aberto o processo, depois de ter passado pelo constrangimento infligido por um quarteto nada amistoso e muito apegado às aparências, à falsa celebridade, à famigerada glória e ao absolutamente inexistente “poder”, fui arguido por outro quarteto, este sim, sensato e ordeiro, e acabei por ser […]

Delicadeza e prazer

Duas palavras que podem levar leitor desatento a equívoco. Desliza da atenção ou da indução inconsciente que podem ser outros instrumentos desta experiência reveladora que é o equívoco. Sobretudo quando provocado por terceiros. Parece não ser bem este o caso aqui. Não sei se o número ideal para um equívoco é dois. Pode ser três. […]

Clarice 3

Agora, a última parte: O inusitado, o inesperado, o revelador. É assim, não necessariamente nessa ordem, que as coisas acontecem nos textos de Clarice. Esta cena no trem aparece na versão cinematográfica de A hora da estrela, em adaptação mais que impecável dirigida por Susana Amaral. Macabéa toma café e observa, ingênua e timidamente, envergonhada, […]

Clarice 2

Segue a segunda parte: No universo quase mágico da escrita de Clarice, a criança tem lugar. Joana, de Perto do coração selvagem é uma delas. Personagem que guia um leitor pelos desvãos da descoberta da feminilidade numa relação com o pai que beira o insólito, muito canhestramente gravada na descrição de um banho, cena reveladora. […]