Pra não dizer…

Pra não perder o ritmo, pra não deixar de publicar postagem hoje, pra não dizer que não falei de flores, coloco aqui um poema que me toca cada vez que o leio, sempre e mais. Um poema que é bastante conhecido, que já foi interpretado de várias maneiras, por muitos artistas. Um poema… Mais um […]

Sem título

Entre uma e outra aula, às vezes, a gente deixa a cabeça voar pelos infinitos campos do pensamento e o espírito plana no planeta palavra. Os astros são poucos, mas os corpos celestes inúmeros, como elas, as palavras. Surpreendentes coisas/entes de utilidade múltipla, de malícia aliciante, cuja abrangência não tem limites, não e pode medir. […]

Para LET874

Abaixo, leem-se dois poemas que compõem o livro Mensagem, de Fernando Pessoa (ortônimo). São o primeiro e o último, respectivamente. Leia-os com atenção!! BRASÃO Os campos O dos castelos A Europa jaz, posta nos cotovelos: De Oriente a Ocidente jaz, fitando, E toldam-lhe românticos cabelos Olhos gregos, lembrando. O cotovelo esquerdo é recuado; O direito […]

Maré

Outro dia, vendo mais um capítulo da chatíssima novela “Velho Chico”, encantei-me com a leitura de uns versos que, logo vi, seriam da pena de Fernando Pessoa ortônimo ou de um de seus heterônimos. À parte o fato desse “mistério” alimentar o pensamento de muita gente – em lugar de simplesmente fruir a singela beleza dos […]

Reler

Faz muito tempo. Foi durante um aula de Dona Aglaeda Facó Ventura, no Mestrado em Teoria da Literatura, na UnB, nos idos de 1986. A disciplina se chamava Estética Literária e Dona Aglaeda, com aqueles olhos esbugalhados discorria sobre a sua satisfação em poder ter adquirido um exemplar em papel bíblia da coleção Plêiade francesa. […]