O vestido azul

Dia útil. Inverno, apesar da temperatura e alta e de um calor inexplicável, misto de umidade represada pelo entorno montanhoso. Nada parecia diferente. De fato, nada era diferente. A fila na entrada do banco, com os mesmos tipos andrajosos, aparentando sujeira e subnutrição; o mesmo clima provinciano de gente que se considera urbana, ainda que […]

Makančeva 14: relatos ficcionais(?)

  Desidério e Fortunado são filhos da imaginação com o sonho: um casal perigosíssimo, a imaginação e o sonho, claro! Parece incrível, mas, praticamente, a totalidade dos meus “leitores” (ui que chic!) não se dá conta da sombra do ficcional sobre a composição do livro, no germe da fabulação entre as palavras. Imagino o que […]