Três leituras II

O segundo livro da série é de um escritor gaúcho. Creio que já escrevi sobre ele no meu blogue por duas vezes. Já não me lembro. O que me lembro bem é de um imbroglio que envolveu a ele, a mim e a uma senhora portuguesa da Fundação Calouste Gulbenkian. Incidente um tanto desagradável. Lembro-me […]

Projetos, sonhos e chatices outras

Trinta e seis linhas. Por que trinta e seis e não cinquenta? Ou outra quantidade qualquer de páginas. Toda decisão tem um motivo e uma consequência, no mínimo. Toda determinação obedece a certo impulso, talvez criativo, talvez copiativo. Pode ser, no entanto, que não haja sequer um impulso, que a coisa seja, assim, gratuita. Trinta […]

Por fim…

Os dois parágrafos que seguem foram retirados de um texto de Freud intitulado “Recordar, repetir, elaborar”. Eu ainda insisto na tentativa de fazer meus alunos lerem este texto – sobretudo nas disciplinas Literatura Comparada e Seminário de narrativa – ao longo destes quase trinta anos de magistério superior. Em que pese o questionamento que se […]