Idas e vindas

Segunda-feira, 23, comemorei a conclusão do meu 62º ano de vida. Na terça, fui ao médico que vai começar a cuidar de mim, de agora em diante. Hoje, voltei ao médico que me acompanha, e à minha próstata, por quase cinco anos. Junte-se a isso a minha proverbial “síndrome” de Macunaíma… e temos dois dias sem postagem. Mas […]

Chatices invejosas?

Na postagem de ontem faltou colocar: rever Beatriz Segall num monólogo sobre/de Emily Dickinson. Inolvidável! Por hoje, comento a leitura que fiz de outros livros do tal Jacques Fux, a título de curiosidade, depois da leitura do seu segundo “romance”: Brochadas. Já vou às aspas, mas, antes, quero registrar o meu tédio por conta da […]

Duplos, triplos, múltiplos

Tenho dito, aqui e alhures, que tenho uma impressão ruim dos tempos em que vivemos. Não há, a meu ver, quase nenhuma possibilidade de se confiar em quase nada do que é dito, mostrado, repetido, alardeado. A gente não tem mais acesso a índices mínimos de confiabilidade. Tudo pode ser usado a serviço disso ou […]

Elogio da chatice

Culpa, substantivo feminino: responsabilidade por dano, mal, desastre causado a outrem; falta, delito, crime; atitude ou ausência de atitude de que resulta, por ignorância ou descuido, dano, problema ou desastre para outrem; como termo jurídico – no direito civil, falta contra o dever jurídico, cometida por ação ou omissão e proveniente de inadvertência ou descaso; […]