Tag: José Saramago

  • O mistério da conferência denegada

    Entre setembro e outubro do corrente, recebi convite para fazer uma conferência durante m congresso na Paraíba. O promotor do evento é um grupo de pesquisas vinculado à UFPB, chamado GELIPSI – Grupo de pesquisa Gênero, Literatura e Psicanálise. Vaidoso que sou, fiquei honrado e aceitei, agradecido. Troquei algumas mensagens com um mestrando Matheus Pereira […]

  • José, de novo

    Não sei por que, fui me lembrar de um dia perdido no tempo, em que, terminando de fazer uma conferência, Gerson, o amigo que coordenava a sessão, disse que eu acabara de operar um milagre. Coloquei, lado a lado, dois homens que não “se bicavam”. José Saramago e António Lobo Antunes. Na verdade, a lembrança […]

  • Para LET874-2

    “Que ilha desconhecida, perguntou o rei disfarçando o riso, como se tivesse na sua frente um louco varrido, dos que têm a mania das navegações, a quem não seria bom contrariar logo de entrada, A ilha desconhecida, repetiu o homem, Disparate, já não há ilhas desconhecidas, Quem foi que te disse, rei, que já não […]

  • Morte

    Em A morte e a morte de Quincas Berro d’água, de Jorge Amado, a morte aparece como palavra passe aos desvarios noturnos pela mítica terra bahiana, no afã de eternizar a amizade que une aqueles que arrastam o cadáver de Quincas, em beberagens e pândegas. Um rito de passagem digno do mais visceral desejo de […]

  • Passado

    Numa de mexer em “papéis” velhos, encontrei esta comunicação apresentada em Viçosa em 2007. Nasceu de um artigo publicado em Santa Maria-RS, logo depois de lá ter chegado. Tenho a impressão de que publiquei uma terceira versão do mesmo texto, mas já me lembro onde… O evangelho segundo Jesus Cristo: notas acerca de um (certo) […]

  • Viçosa 1

    Depois de intervalo alongado, sem justificativa plausível… recomeço. E o faço porque começa, de novo, mais uma bateria de falações, com algumas caras e bocas, com surpresas, como a de hoje. Primeiro, a companhia, ocasional e absolutamente volátil. Foi-se, assim como chegou, do nada, de repente. Um vozeirão. Mas ela brilhou, incólume durante os quase […]

  • Tempos modernos…

    Ele anda em velocidade elevada e diz que não se importa com os outros, que passam ou, no mínimo, que tentam passar. Não sinaliza todas as conversões, seja para direita ou esquerda. Nas ultrapassagens, segue sempre querendo provar que “pode mais”. Conversa com os demais, ainda que eles sequer saibam que estão sendo interpelados. Bem… […]