Delicadeza e prazer

Duas palavras que podem levar leitor desatento a equívoco. Desliza da atenção ou da indução inconsciente que podem ser outros instrumentos desta experiência reveladora que é o equívoco. Sobretudo quando provocado por terceiros. Parece não ser bem este o caso aqui. Não sei se o número ideal para um equívoco é dois. Pode ser três. […]

Sombras

Estavas, linda Inês, posta em sossego De teus anos colhendo doce fruito, Naquele engano da alma ledo e cego, Que a fortuna não deixa durar muito, Nos saudosos campos do Mondego, De teus fermosos olhos nunca enxuito, Aos montes ensinando e às ervinhas, O nome que no peito escrito tinhas. (Camões, III, 120) Não. Não […]

Vapt-vupt

Foi de uma sentada só. Peguei o livro, não muito certo do que ia encontrar. O título é, ao mesmo tempo sedutor e vazio. Remete a outro texto, do Camus. Já, já, digo o nome. Foi de uma vez. Comecei e não parei até a página76. Tive que parar, por conta de coisas que apareceram […]

Entre os dois, meu coração balança

Dois verbos que, a princípio parecem antagônicos e excludentes: lembrar e esquecer. Mas só parecem. Na verdade, um não existe sem o outro, quando usados para expressar o que quer que seja, em uma oração, para expressar qualquer coisa. De fato, um não existe sem o outro. É só parar e pensar um pouquinho. O […]