Certo/Incerto

O susto da morte. Susto? Susto, sim senhor! Ainda lembro-me bem de certa noite, em Belo Horizonte, quando, acompanhando um amigo inesperadamente avisado da morte do pai, fazia a ronda pelas funerárias da cidade, de carro, prestando solidariedade. Numa das paradas, enquanto ele se informava no interior do prédio da Santa Casa de Misericórdia, fiquei caminhando diante […]

Morte

Em A morte e a morte de Quincas Berro d’água, de Jorge Amado, a morte aparece como palavra passe aos desvarios noturnos pela mítica terra bahiana, no afã de eternizar a amizade que une aqueles que arrastam o cadáver de Quincas, em beberagens e pândegas. Um rito de passagem digno do mais visceral desejo de […]

Aniversário

Ontem, 21 de Dezembro, foi aniversário de morte de Manuel Maria Barbosa du Bocage, poeta português, equivocada e rasteiramente associado a anedotas, quase sempre, de gosto duvidoso e graça escassa: 210 anos. Passou-me despercebida a data. O que me chamou a atenção para ela foi a nota introdutória ao volume que colide a produção do […]

Notícias

Na semana que passou, Afonso Ávila morreu. A considerar certas estatísticas, muito pouca gente ficou sabendo. Mais, muito pouco gente ficou “sentida” com sua morte. Pensei logo no colega de universidade e amigo, José Arnaldo, professor de História da Arte. Ele era afilhado de casamento do poeta falecido. Ano passado, combinei com ele uma entrevista […]