Delicadeza e prazer

Duas palavras que podem levar leitor desatento a equívoco. Desliza da atenção ou da indução inconsciente que podem ser outros instrumentos desta experiência reveladora que é o equívoco. Sobretudo quando provocado por terceiros. Parece não ser bem este o caso aqui. Não sei se o número ideal para um equívoco é dois. Pode ser três. […]

Viagens “porteñas”

Há um texto de Borges “Pierre Menard, autor do Quixote”, que sempre me intrigou. De cara, põe-se uma questão relevante: a que gênero pertence este texto. Que fique claro que não sou sócio vitalício do clube que congrega aqueles que não vivem rotular um gênero num texto. As desculpas são esfarrapadas. Os resultados, tendem a […]

Cartas

Faz (já!) mais de um ano, conclui um segundo estágio de pós-doutoramento em Coimbra. Foram seis meses recheados de coisas/momentos inesperadas, revisitações, lembranças e experiências. Tudo muito instigante e absolutamente gratificante, com o devido pedido de perdão pela involuntária rima pobre… Seis meses inesquecíveis. Já de volta aos trópicos, fiquei sabendo do lançamento de mais […]

Ler

São quinze capítulos, incluindo Prólogo e Epílogo. Alguma similaridade com o caminho que leva ao Gólgota, não terá sido mera coincidência? Ou terá sido. diga quem ler o romance e quiser sobre ele comentar alguma coisa. Trata-se de A cura, do Pedro Eiras. O autor é professor na/da Universidade de Porto, se não me falha […]

LET 973 – 4

Mais uma vez, mais um poema. Desta feita, as perguntas são: 1. Trata-se de um poema narrativo? Por quê? 2. Caso a resposta da primeira pergunta tenha sido positiva, o quê, no poema, sustenta esta afirmativa? Cite verso(s) do poema para exemplificar sua argumentação. 3. O que se pode dizer do “narrador” – ainda que […]

LET 973 – 3

Pode parecer estranho o fato de você ler dois poemas numa postagem supostamente dedicada à narrativa. Lembre-se de que, numa perspectiva tradicional, a Teoria da Literatura ensina que os gêneros literários eram três: lírico, épico e dramático. Ensina também que estes três gêneros se referiam à “poesia” – atenção para o fato de que esta […]

LET 973 – 1

Segue o texto do conto. Trata-se de narrativa naturalista. A “atividade” é citar três passagens que demonstrem traços da “personalidade” da “contessina” que ajudam a compor a sua figura de personagem e tentar comentar os “comos” e os “porquês” desta imagem. Boa leitura! *********************************************************************************************************************** O FUNÃMBULO DE MÁRMORE A contessina sentiu-se triste nessa manhã, aborrecida […]