Vozes lusitanas

Dos efeitos imediatos da aposentadoria, o mais intenso tem sido fruto de uma prática diuturna dos 31 anos de docência – ainda que tendo conhecido altos e baixos: a leitura. Sempre comentei com meus alunos que um professor de literatura não “ensina” literatura e que eles não “aprendem” literatura, pelo simples fato de que Literatura […]

Do capítulo das resenhas – final

Resolvi reduzir para duas as etapas de publicação da resenha sobre o livro do Carlos Nejar. Aí vai a segunda (e última!) Em Odysseus, o velho, a escrita de Carlos Nejar, própria dos poetas que são também videntes, é um tecido denso de imagens e ritmos com efeito dinamizante. Poeta da poesia, mais que do […]

Do capítulo das resenhas

Já faz uns dias, eu escrevi sobre um livro de poesia de Carlos Nejar, sobre o qual escrevi uma recensão – para ficar com o termo usado pela revista onde o texto seria publicado, a Colóquio Letras. Pois bem. Resolvi publicar, uma vez mais, aqui – agora sem a preocupação de normas de ABNT, citações […]

Aves, insetos e letras

           Já faz um tempo, recebi uma mensagem de correio eletrônico de uma amiga de Niterói. Ela perguntava se podia eu substituir um outro colega na redação de uma recensão de um livro de poesia recentemente lançado no Brasil. A recensão seria publicada na prestigiada revista Colóquio Letras, de Lisboa, sob […]

Prosa e poesia: leituras

É hoje. Sem falta. Custe o que custar. Hei de vencer a minha proverbial preguiça e vou escrever sobre os dois livros que citei ontem. Um, de poesia, é o primeiro (espero que de uma série) de um jovem poeta de Itajaí, Audo Morel. Conheci o gajo em Coimbra. Eu fazendo pós-doutoramento, ele, licenciatura pelo […]

Assim é se lhe parece

Que Garcia de Resende é importante para o período inicial da História da Literatura Portuguesa é fato que interessa aos interessados. Seu trabalho de recolha e organização da produção poética peninsular no Cancioneiro Geral, trazido a lume em 1516, é primoroso, digno de nota e um documento inconteste do “estado da arte” àquela altura do […]

Revisitações

Tomado que estou da mais absoluta ausência de ânimo para o que quer que seja, resolvi postar algumas linhas escritas numa primeira tentativa de escrever um artigo sobre um poeta português de quem gosto imenso: Al Berto, pseudônimo de Alberto Raposo Pidwell Tavares, nascido em Coimbra a 11/1/48 e falecido em Lisboa a 13/6/97, do […]