Três leituras II

O segundo livro da série é de um escritor gaúcho. Creio que já escrevi sobre ele no meu blogue por duas vezes. Já não me lembro. O que me lembro bem é de um imbroglio que envolveu a ele, a mim e a uma senhora portuguesa da Fundação Calouste Gulbenkian. Incidente um tanto desagradável. Lembro-me […]

Poema de estalo

Enquanto ando, as quarenta voltas em torno de casa,penso num monte de coisas. As mais variadas, numa sequência caótica que obedece, apenas, ao sabor da vontade de acabar logo com essa chatice (dizem que absolutamente saudável) que é caminhar. Hoje, neste percurso diuturno, pensei nesse poema que escrevi, sem revisão… Sou poeta de ocasião, como […]

Revisitações circunstanciais

O momento anda, assim, um tanto complicado. Resolvi botar em curso o processo de acompanhamento da saúde. Coisa mais que necessária, depois de mais de meio século. Bem. Custei, mas encontrei um texto que escrevi para ser apresentado (como o foi) num congresso em Lisboa, no mais que elegante prédio da Fundação Calouste Gulbenkian, em […]

Uma conferência

Por conta da mais que agradável visita de minhas primas queridas – Márcia, Rosana e Esther Dolores – não fiz postagem ontem. O prazer das horas de convívio valeu mais que tudo. Nada a reclamar! Hoje, pra fechar a semana, e não deixar de fazer jus à minha proverbial “síndrome”, apresento hoje uma conferência que […]

Outro poema

Cento e dez metros. São cento e dez metros percorridos quarenta vezes. Quarenta vezes divididas em duas séries de vinte, cada uma num sentido. Cento e dez metros. A quem isso importa? Nem Carlos, nem João, Luis ou Fernando. Não. Nenhum deles. Algum deles fosse, talvez, a ideia seria notada e comentada e celebrada. E […]