Tag: Costumes

  • Do lado de lá

    Nas duas últimas semanas, fomos quase sufocados com tantas matérias e fotos e vídeos e comentários e textos e notícias sobre os funerais da Rainha Elizabeth II, A Rainha Isabel II, como conhecida em Portugal. Paralelamente – e para mal dos pecados de cada um dos cidadãos de bem viventes neste rincão, do lado de […]

  • Retorno

    Um passeio de barco pelo rio ao som de música barroca. A vidraça a emoldurar o ocaso durante um passeio por uma exposição de pinturas. Um verdadeiro bosque artificial acondicionado em prédio moderno a imitar um antigo. Ruas e parques e jardins limpos. Trânsito sem semáforos. A ducha de prata. O morro do elefante. O […]

  • Tédio

    Tempos chatos. Uma chatice entranhada e morna, insossa, entediante. Tudo está errado. Não se pode mais isso, nem aquilo. Se olhar muito é assédio. Se contradisser, é assédio ou burrice. Isto ou aquilo – não se trata do poema da Cecília. Chatice. Nesse clima, nada alvissareiro, recebo mensagem de uma amiga querida, ex-aluna. Não diz, […]

  • Infância (de verdade!)

    Ando pensando em coisas que, aparentemente já não têm importância. Coisas que aprendi. Coisas que me mostraram. Coisas que faziam parte da vida de qualquer menino ou menina (Sim, só esses dois, menino e menina! O resto é invenção de gente descerebrada que não tem o que fazer a não ser encher o saco dos […]

  • Coisa

    O texto que segue não é de minha autoria, como se vê logo abaixo do título). Já o conhecia. Não me lembro se já o coloquei aqui. Pode ser que sim. Minha abissal preguiça me impediu de procurar nos alfarrábios deste blogue (creio que já há mais de dez anos o seu aparecimento). Deixa pra […]

  • Inusitado

    A maré de preguiça e falta de graça, somada à de vontade, tem feito buracos enormes em minhas publicações. Não me importo. Leio tanta bobagem. Escuto tanta asneira. Vejo tanta coisa horrorosa e sem graça que nem sei. Agorinha, repassando algumas coisas no facebook – coisa de ente à toa – deparei-me com uma publicação […]

  • Ironia

    O texto que segue não é meu. Publico-o aqui por ser um exemplo de fina ironia, desvelada numa linguagem acuradíssima. É texto que dá prazer de ler. E muito. As omissões representadas por (…) se devem ao fato de que desejo preservar a identidade das “personagens” envolvidas, mas, acima de tudo e antes de mais […]

  • Livros

    Foi numa noite fria de novembro. Ao fim da tarde, o róseo azulado céu que se via da Quinta de Juste forrava o pensamento com uma luzidia corrente que se espraiava sobre a planície a encobrir o rio Cávado com uma névoa matinal que diariamente se vê a esta altura do ano. Os panos envidraçados […]

  • Um filme

    Um tratado. No dicionário que consultei on line, esta palavra apresenta duas acepções. Como adjetivo, significa que o que se tratou; como substantivo masculino significa convenção, entre dois ou mais países, referente a comércio, paz, etc. No entanto, que eu saiba, há ainda uma outra acepção. Tratado (do termo latino tractatus) é um estudo formal, científico, de caráter acadêmico, fundamentado […]

  • “Chamadas”

    Meu computador de mesa é da HP. (Eu poderia dizer logo desktop, mas não o faço por birra. Não gosto da língua do tal de tio sam… assim mesmo, em minúsculas. E não renuncio a minha chatice, não neste espaço meu, absolutamente todo meu!). Logo, como soe acontecer, seu sistema é da Microsoft. Assim que abro o Edge, abre-se […]