Idiossincrasias

Ontem revi um filme com Nicole Kidman. Gosto desta atriz. O filme contava a história de Grace Kelly. Logo de início, aparece a observação que diz ser o filme baseado em fatos verídicos ainda que tenha sua história adaptada. Logo, deduz-se, não condiz com a verdade inteira. o entanto, uma vez mais, é daqueles filmes que demonstram o valor intrínseco das palavras. Ou melhor da “palavra”. Falo daquilo que o sujeito empenha e do poder que este empenho imprime aos vocábulos que usa, transformando suas assertivas em verdadeiros petardos de sentido, de valor, de verdade. Vejam o filme (Grace de Mônaco, 2015, direção de Olivier Dahan, roteiro de Arash Amel).  Está no Netflix. A propósito de palavras, mesmo antes de dormir, recebi mensagem de uma amiga com um texto sobre acentuação, inclusive. Ainda não consegui esclarecer para mim mesmo porque comecei falando do filme para introduzir a partilha da mensagem que entendo como interessante. Vá lá…

“Entre doidos e doídos, prefiro não acentuar. Às vezes, não acentuar parece mesmo a solução. Eu, por exemplo, prefiro a carne ao carnê. Assim como, obviamente, prefiro o coco ao cocô. No entanto, nem sempre a ausência do acento é favorável… Pense no cágado, por exemplo, o ser vivo mais afetado quando alguém pensa que o acento é mera decoração. E há outros casos, claro! Eu não me medico, eu vou ao médico. Quem baba não é a babá. Quem bebe não é bebê. Você precisa ir à secretaria para falar com a secretária. Será que a romã é de Roma? Seus pais vêm do mesmo país? A diferença na palavra é um acento; assento não tem acento. Assento é embaixo, acento é em cima. Embaixo é junto e em cima separado. Seria maio o mês mais apropriado para colocar um maiô? Quem sabe mais entre a sábia e o sabiá? Essa eu não sabia. O que tem a pele do Pelé? O que há em comum entre o camelo e o camelô? O que será que a fábrica fabrica? E tudo que se musica vira música? Será melhor lidar com as adversidades da conjunção “mas” ou com as más pessoas? Falando em mas, quem escreve mais ou mas achando que tanto faz, erra demais. Mas, se prestar a devida atenção, um dia não errará mais. E poderá, enfim, escrever mas ou mais na santa Paz. Aqueles que não entenderam, um dia entenderão. Será que tudo que eu valido se torna válido? E entre o amem e o amém, que tal os dois? Na sexta comprei uma cesta logo após a sesta. É a primeira vez que tu não o vês. *Vão tachar de ladrão se taxar muito alto a taxa da tacha. Asso um cervo na panela de aço que será servido pelo servo. Por tanto nevoeiro, portanto, a cerração impediu a serração. Para começar o concerto tiveram que fazer um conserto. Ao empossar, permitiu-se à esposa empoçar o palanque de lágrimas. Uma mulher vivida é sempre mais vívida, profetiza a profetisa. Calça, você bota; bota, você calça. Oxítona é proparoxítona. Na dúvida, com um pouquinho de contexto, garanto que o público entenda aquilo que publico. E paro por aqui, pois esta lista já está longa. Realmente, Português não é para amador! Se você foi capaz de entender tudo, parabéns! Seu Português está muito bom! (Desconheço autoria)

2 respostas para “Idiossincrasias”.

  1. Entendi tudo. Vou bem no português.

    1. Viva! Que tudo! beijinho 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: