Poema

Delírio

Entre as rotundas colinas

e seus picos túrgidos

antever o vale hexamétrico

amplo e ondulado

a caminho do pecado, sem rima

e a haste intumescida

erguida, entre

num vasto plano

de veludo acastanhado

sobre colunas de alabastro,

torneadas e amplas

e os pés.

Ai, meu Deus, os pés!

O quê?

Não, não é o cântico dos cânticos, mas bem

poderia ser

ainda que mais próximo daqui

desse tempo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: